O ESPETACULAR RETORNO DE MARCO REUS

Por Gerd Wenzel

Pela primeira vez na atual temporada da Bundesliga, Marco Reus começou jogando no time titular no último fim de semana e só foi substituído quando o confronto já estava decidido a favor dos auri-negros contra os potros por 4 a 1. É verdade que pela quinta rodada da Champions League, há duas semanas, Reus também esteve em campo desde o início e teve uma atuação brilhante na memorável vitória sobre o Legia Varsóvia por 8 a 4. Para o torcedor do Dortmund, contudo, era mais importante vencer o xará de Gladbach do que o time polonês – mesmo porque, na Champions, o time já está nas oitavas de final.

Na Bundesliga, o esquadrão comandado por Thomas Tuchel precisa remar muito ainda para entrar diretamente na disputa pelo título. Atualmente em sexto lugar, está a nove pontos do líder RB Leipzig, de quem já perdeu logo na segunda rodada, e a seis pontos do vice-líder Bayern Munique, a quem recentemente impôs uma derrota por 1 a 0. Numa situação como essa, nada melhor do que poder contar novamente com aquele que, aos 27 anos, é considerado o melhor jogador alemão da atualidade, por seu excepcional talento e por sua capacidade de determinar sozinho o resultado de uma partida.

Reus ficou afastado dos gramados por quase 200 dias, mas voltou com tudo tanto contra o Legia Varsóvia quanto diante do Gladbach.  Na partida contra seu adversário na Bundesliga, deu três assistências da mais alta qualidade técnica: duas para Aubameyang e uma para Dembelé. Sua classe individual é indiscutível e fora de série: ritmo, objetividade, criatividade e entendimento em campo com seus colegas de trabalho fazem a diferença.

Além disso, ele joga para o time. Depois da saída de um líder como Mats Hummels, a sua liderança começou a emergir naturalmente, o que ficou claramente demonstrado nas duas partidas em que esteve em campo. E tem ainda a confiança de Thomas Tuchel, que por inúmeras vezes já se declarou um apaixonado por seu futebol: "Essa volta de Marco aos gramados é fantástica. Eu me impressiono com sua personalidade e liderança mesmo depois de tanto tempo ausente".

Durante sua longa contusão na virilha e nos adutores, Tuchel sempre apoiou seu jogador: "Marco terá todo tempo que for necessário para se recuperar plenamente". Mas, ao mesmo tempo, exercia uma suave pressão: "Sem ele no time, não vamos conseguir alcançar nossos objetivos".

Outro detalhe que ficou claro, especialmente na partida contra o Mönchengladbach, foi que a presença de Marco Reus faz do Dortmund o time com o ataque mais velez da Bundesliga – e provavelmente da Europa. O trio Aubameyang, Dembelé e Reus brilha intensamente e, com sua velocidade nas triangulações, é capaz de atropelar qualquer adversário. Não é à toa que Usain Bolt, o homem mais rápido do mundo, manifestou a vontade de treinar com a equipe auri-negra.

E há um detalhe a mais na vida do craque que pode beneficiar imensamente a caminhada do Borussia Dortmund nesta temporada: aos 27 anos de idade, Marco ainda não conquistou nenhum grande título em sua carreira. Teve a oportunidade na final da Copa da Alemanha na última temporada, quando mesmo contundido entrou em campo para levantar a taça. Mas não deu. No final, o Bayern acabou vencendo na cobrança de penalidades máximas. Além disso, novamente por contusão, não participou da Eurocopa 2016, assim como já havia acontecida antes na Copa do Mundo de 2014.

Marco Reus sabe que está mais do que na hora de levantar um título, e o seu objetivo atual é exatamente este. As próximas semanas serão de muito trabalho em busca da melhor forma técnica e física, que devem chegar no segundo turno da Bundesliga. E, se isso realmente acontecer, Bayern de Munique e RB Leipzig já podem ir colocando as suas barbas de molho, pois é bem possível que este novo Borussia Dortmund faça história já em sua primeira temporada.